terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Em SP, professores reprovados em exame vão intermediar conflitos.

Clipping Educacional - Da Agência Estado


Programa ainda está em criação pelo governo do estado.

Ele será instituído a partir do próximo ano letivo.

Os professores temporários de São Paulo que não passarem na prova de seleção da Secretaria Estadual da Educação serão destacados para trabalhos que incluem a mediação de conflitos internos nas escolas e visitas às casas dos alunos.

O programa, em criação pelo governo do estado, leva o nome provisório de "professor mediador escolar e comunitário" e será instituído a partir do próximo ano letivo para atender a uma demanda que surgirá diante da nova legislação que regula o trabalho temporário dos servidores, aprovada neste ano.

A maioria dos docentes não concursados está sujeita à seguinte regra: quem for reprovado na avaliação não poderá lecionar em 2010, mas terá a garantia da recém-criada jornada mínima de 12 horas semanais em atividades extraclasse. Cerca de 88 mil temporários podem cair nesse grupo - a rede estadual de educação tem cerca de 230 mil professores entre efetivos e temporários.

Salas de leitura

Em princípio, os temporários mal avaliados com garantia de jornada básica fariam somente trabalhos de apoio nas salas de leitura. Mas como são profissionais com experiência letiva de três anos ou mais na rede, a secretaria quer aproveitar a formação pedagógica do grupo nos papéis de mediadores de conflito e professores visitadores, para os quais esses docentes devem ser capacitados.

Tais funções, segundo a Secretaria Estadual da Educação, pretendem incentivar maior participação das famílias na comunidade escolar e ampliar os círculos de Justiça Restaurativa, processo de reparação de danos e reconstrução da paz pelo diálogo. A Justiça Restaurativa foi implantada de modo experimental em escolas estaduais da zona sul da capital, de Guarulhos e São Caetano do Sul.

Até 20 de janeiro

A rede estadual tem cerca de 5,3 mil escolas de ensino fundamental e/ou ensino médio e atende a cerca de 5 milhões de estudantes. A ideia inicial do programa é fixar um professor por colégio ou por turno para mediar conflitos e interagir com as famílias. A secretaria quer definir detalhes do programa até 20 de janeiro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: http://g1.globo.com/

Instituto de Física oferece curso para professor do ensino básico

Clipping Educacional - Da Agência Imprensa Oficial


São oito cursos que mostram como tornar o aprendizado em sala de aula mais motivador

Interessado em conhecer experimentos inovadores, baratos e fáceis de fazer para motivar alunos a entender fenômenos da Física sem precisar ser gênio como o Einstein? O Instituto de Física da USP oferece oito cursos que explicam aos professores de Ciências e de Física do ensino básico como tornar o aprendizado em sala de aula mais motivador. Para participar, basta ter diploma de nível superior completo e se inscrever até o dia 30 de dezembro, no site da instituição. São 250 vagas. As aulas e oficinas acontecerão no período de 18 a 22 de janeiro, na Cidade Universitária.

Segundo o professor-coordenador, Fuad Daher Saad, os educadores participarão de atividades experimentais baseadas em conteúdos teóricos consistentes e de oficinas, se inteiram das atualizações de conhecimentos e trocam experiências. "Há espaço para reflexões e discussão da estrutura curricular", acrescenta. Outra vantagem é o certificado emitido pela USP e pela Coordenadoria de Ensino e Normas Pedagógicas (Cenp), que ajuda na carreira acadêmica, completa.

Os kits didáticos dos experimentos utilizados nos cursos poderão ser levados para as escolas e ser replicados para facilitar o entendimento de conceitos e fenômenos da Física, ressalta Saad. Por isso, é cobrada taxa de R$ 35,00 na inscrição, que será revertida na compra desses materiais. "Os professores confeccionam os equipamentos e depois podem mostrar aos alunos como fazer. Assim fica mais fácil explorar conceitos elementares e melhorar a compreensão de muitos fenômenos físicos", diz o coordenador.

Didático e lúdico

Há seis anos lecionando para professores participantes desses cursos, chamado de Encontro Ifusp-Escola, o coordenador diz que é gratificante ensinar. "São pessoas interessadas que, ao retornarem à escola, levarão novas possibilidades de aprendizado e inovações aos estudantes. Não é uma experiência que se perde". Saad diz que a maioria dos materiais utilizados nos cursos é de baixo custo, e as experiências, fáceis de fazer. "Só com uma garrafa PET é possível realizar 25 experimentos", afirma.

Como forma de enriquecer o cenário educacional, o coordenador indica aos alunos o site do toys from trash, que mostra inúmeros experimentos científicos com materiais descartáveis direcionados ao público estudantil. A confecção dos brinquedos, mostrada passo a passo, ilustra para as crianças os princípios básicos da Física. São experiências didáticas e lúdicas, diz o professor. Para exemplificar o conceito de força centrípeta, usa-se apenas uma bexiga inflada com uma moeda dentro. Ao girá-la, a moeda faz movimentos circulares.

Todos os cursos são desenvolvidos com oficinas experimentais aliadas às teorias. Por exemplo, no curso de Astronomina são descritos os movimentos do sol, lua e estrelas, eclipses, marés, noções sobre calendários e evolução de estrelas, entre outros. O de Aplicações de Luz, Cor e Imagens enfatiza efeitos e defeitos do olho humano, cores, iluminação e fotometria. As explicações vêm acompanhadas de demonstrações e da confecção de artefatos, que podem ser manuseados pelos alunos e reproduzidos com baixo custo.

Serviço

Inscrições e outras informações no site http://web.if.usp.br/extensão/node/45

Local do curso: Instituto de Física da USP - Rua do Matão, Travessa R, 187 - Cidade Universitária - São Paulo

Site toys from trash: www.arvindguptatoys.com/toys.html

fonte: http://www.saopaulo.sp.gov.br/

Feliz Natal e um próspero Ano Novo!!!

Um momento doce e cheio de significado para as nossas vidas.


É tempo de repensar valores, de ponderar sobre a vida e tudo que a cerca.

É momento de deixar nascer essa criança pura, inocente e cheia de esperança que mora dentro de nossos corações.

É sempre tempo de contemplar aquele menino pobre, que nasceu numa manjedoura, para nos fazer entender que o ser humano vale por aquilo que é e faz, e nunca por aquilo que possui.

Noite cristã, onde a alegria invade nossos corações trazendo a paz e a harmonia.

O Natal é um dia festivo e espero que o seu olhar possa estar voltado para uma festa maior, a festa do nascimento de Cristo dentro de seu coração.

Que neste Natal você e sua família sintam mais forte ainda o significado da palavra amor, que traga raios de luz que iluminem o seu caminho e transformem o seu coração a cada dia, fazendo que você viva sempre com muita felicidade.

Também é tempo de refazer planos, reconsiderar os equívocos e retomar o caminho para uma vida cada vez mais feliz.

Teremos outras 365 novas oportunidades de dizer à vida, que de fato queremos ser plenamente felizes.

Que queremos viver cada dia, cada hora e cada minuto em sua plenitude, como se fosse o último.

Que queremos renovação e buscaremos os grandes milagres da vida a cada instante.

Todo Ano Novo é hora de renascer, de florescer, de viver de novo.

Aproveite este ano que está chegando para realizar todos os seus sonhos!

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO PARA TODOS!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

TELECURSO TEC

A secretaria da EE "Ademar Vieria Pisco" estará recebendo até o dia 18 de dezembro de 2009 as pré-inscrições dos alunos das 2ª e 3ª séries do Ensino Médio que desejam participar do Telecurso TEC.
Será oferecido o Módulo I (básico), com Certificação de Qualificação Profissional de Assistente de Planejamento. Desse curso poderão participar alunos das escolas estaduais que em 2010 estejam na 2ª ou 3ª séries do Ensino Médio Regular (isto é, 1ª e 2ª séries de 2009), com as aulas aos sábados (6 h/sábado por 6 meses), com início previsto para março/2010. O Certificado será fornecido pela ETEC “Paula Souza” e, após o término do Módulo I (básico), caso haja interesse, o aluno poderá cadastrar-se no site e continuar o curso técnico na modalidade aberta nos cursos de Técnico em Administração, Secretariado ou Gestão de Pequenas Empresas. Será fornecido para o Modulo I (básico), gratuitamente, o material do aluno e haverá um professor orientador da SEE (atribuição de 2010) As turmas poderão funcionar com no mínimo 35 e máximo de 43 alunos inscritos Telecurso TEC é um programa de formação técnica de nível médio, de qualificação e habilitação profissional, feito para quem deseja investir na sua educação ou na de seus funcionários. É composto por três cursos técnicos: Administração Empresarial, Gestão de Pequenas Empresas, Secretariado e Assessoria, oferecidos em três modalidades: aberta, presencial e on-line.
Maiores informações:

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Dia da Consciência Negra


Apesar de não ser feriado estadual ou federal. É uma data importante para comemoração e estudo. Por quê?
Atualmente metade da população brasileira declara-se negra ou pard, número muito superior a décadas atrás. Esse é um forte indício que o preconceito vem sendo superado, pois se as pessoas declaram-se negras é por orgulhar-se disso. Com esse comemoração manteremos viva sua origem, tradição e principalmente,toda a influência que exercem em nossa cultura. Só assim, o respeito por eles será conquistado.

Por que o uso do termo "raça" persiste?

De fato, não há nada espontaneamente visível na cor da pele, no formato do nariz, na espessura dos lábios ou dos cabelos, ou mais fácil de ser discriminado nesses traços do que em outros, como o tamanho dos pés, a altura, a cor dos olhos ou a largura dos ombros. Tais traços só têm significado no interior de uma ideologia preexistente (de uma ideologia que cria os fatos, ao relacioná-los uns aos outros, e apenas por causa disso funcionam como critérios e marcas classificatórios.
Em suma, alguém só pode ter cor e ser classificado num grupo de cor se existir uma ideologia em que a cor das pessoas tenha significado. Isto é, as pessoas têm cor apenas no interior das ideologias raciais.
Hoje com o desenvolvimento da genética, sabemos que as diferenças entre os grupos humanos fica no interior das populações, fato que não observa em quase nenhuma outra espécie de mamíferos do planeta. Isso significa que não existem grupos humanos geneticamente diferenciados a ponto de afirmarmos a ponto de afirmarmos que existem raças humanas.

É difícil aceitar o diferente? Por quê?

O racismo não possui nenhuma base natural, não tem fundamento genético (somos todos Homo sapiens). Os cientistas do célebre Projeto Genoma provam que não existem raças humanas. Se nós tivéssemos acesso a impressões digitais do DNA de grupos como negros, ameríndios ou chineses, não saberíamos quem é de qual grupo. Os genes que determinam a cor da pele ou as características físicas, são poucos em relação ao número total de genes no DNA que se tornam insignificantes.
Quando se tem preconceito em relação a determinado grupo de pessoas, costuma-se construir uma imagem negativa ou seja estereótipos. Este funciona como um carimbo, a partir do que a pessoa é vista sempre por meio de uma marca.
Não existem comprovações científicas de que determinado grupo apresente rigidamente esta ou aquela característica, a ciência não tem como classificar especificamente determinado grupo partindo de características físicas, até porque é visível a miscigenação. Noutras palavras, não existem "espécies humanas", mas uma única espécie, originando nessa espécie diversos grupos que desenvolveram diferentes línguas, costumes, culturas, mas pertencendo todos a mesma espécie: a espécie humana ou Homo sapiens!

Partindo de tais discussões a EE "Ademar Vieira Pisco", procura durante todo ano letivo, e especialmente no Dia da Consciência Negra abordar tal temática desenvolvendo vários discussões acerca de temas relevantes a todas sociedade.




domingo, 29 de novembro de 2009

Assinatura de convênio para construção de nova escola estadual em Santa Maria da Serra

Nesta quarta-feira (25), em evento no Palácio dos Bandeirantes, o secretário de Estado da Educação Paulo Renato Souza assinou convênio com 41 prefeituras paulistas para construção, ampliação, reforma, adequação de prédios escolares e conclusão de obras dentro do Programa de Ação Cooperativa Estado-Município para Construções Escolares. O Programa conta com orçamento de R$ 89,2 milhões.

“Com estes convênios, damos continuidade ao Programa que visa a contribuir para a expansão e melhoria do ensino, propiciando a todas as crianças melhores condições de acesso à escola e garantindo sua permanência e progressão”, declarou o secretário de Estado da Educação Paulo Renato de Souza.

No total, serão assinados 50 convênios – para 50 obras, que beneficiarão os municípios de Americana, Anhumas, Araraquara, Atibaia, Boituva, Bragança Paulista, Braúna, Caconde, Caiuá, Caraguatatuba, Descalvado, Emilianópolis, Euclides da Cunha Paulista, Ferraz de Vasconcelos, Franca, Gastão Vidigal, Guaiçara, Icém, Indaiatuba, Indiaporã, Ipaussu, Ipeuna, Itaí, Itajobi, Itapira, Limeira, Mira Estrela, Mirassol, Mongaguá, Narandiba, Nazaré Paulista, Piracicaba, Piraju, Presidente Epitácio, Santa Maria da Serra, São João de Iracema, São José dos Campos, Sumaré, Tapiraí, Tejupá e Votorantim.

Estão previstas 29 novas obras, além de 12 ampliações e 17 reformas/ adequações, que também contemplam outros 16 municípios que já tinham aderido ao Programa. Com isso, a rede estadual de ensino passará a contar com mais 353 salas e 37.065 novas vagas.

Os convênios para construção e reforma das escolas se constituem em um reforço à ação neste mesmo sentido que vem sendo desenvolvido pela Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE). Desde 2007, a FDE já concluiu ou vem realizando intervenções em mais de 5.397 escolas, num valor total de R$ 2,2 bilhões.

Os convênios serão executados sobre supervisão técnica da FDE e permitirão uma aceleração no ritmo das obras escolares, que já é muito elevado.
Fonte: http://www.educacao.sp.gov.br

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Adiamento SARESP 2009

Por solicitação do Senhor Secretário da Educação, esta Coordenadoria de Ensino informa que a aplicação das provas do SARESP será adiada para próxima semana, de terça a quinta-feiras, dias 17, 18 e 19 de novembro.

Rubens Antônio Mandetta de Souza
Coordenador de Ensino do Interior
Fonte: Diretoria de Ensino de Piracicaba

Secretaria define competências e habilidades requeridas

Resolução indica perfil do profissional de ensino e a bibliografia exigida, que também será usada em exames e concursos


A Secretaria de Estado da Educação divulgou nesta quarta-feira (04/11), por meio de uma resolução publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo, as competências e as habilidades desejáveis para professores da rede pública estadual, além da bibliografia para exames e concursos. O material indicado é o mesmo para os três tipos de exames: processo seletivo de professores temporários, concurso de progressão na carreira (Programa Valorização Pelo Mérito) e concursos públicos para provimento de cargos.

A publicação especifica os perfis requeridos para Professor Ensino Básico I, Professor Ensino Básico II e de Educação Especial. No caso dos professores Ensino Básico I, a Secretaria indica a fundamentação pedagógica, ou seja, identificação das principais contribuições da atividade escolar para o desenvolvimento dos alunos, distinção das condições de aprendizagem necessárias conforme a natureza dos conteúdos, e a construção de rotinas de trabalho para organizar o tempo didático, por exemplo. Também são exigidas competências técnicas gerais - necessárias para todos os professores do módulo - e conhecimentos específicos para o ensino de Língua Portuguesa, Matemática e Conhecimentos Gerais.

Já aos docentes do Ensino Básico II são pedidos outros tipos de conhecimentos, como cultura geral e profissional; as dimensões culturais, sociais, políticas e econômicas da educação; conhecimento pedagógico; conhecimentos para o desenvolvimento profissional, entre outros.

O texto aponta ainda o perfil desejado, as habilidades, a bibliografia com 15 livros e os documentos requeridos para cada uma das matérias: língua portuguesa, arte, educação física, inglês, matemática, ciências, física, química, biologia, história, geografia, filosofia e sociologia. Em Filosofia, por exemplo, fazem parte do currículo os livros de René Descartes e Jean-Jaques Rousseau.

Em Educação Especial, é esperado que o professor conheça as particularidades de cada tipo de deficiência, para que possa dar atendimento personalizado aos alunos.

Adequação das provas


Comissões especialmente formadas pela Secretaria da Educação irão garantir a coerência entre os conteúdos das provas aplicadas nos próximos concursos e processos seletivos públicos. A resolução constituindo as Comissões de Supervisão e Acompanhamento das Áreas Temáticas também foi publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial.

“Os professores saem ganhando, pois poderão utilizar a mesma bibliografia de estudo tanto para as provas de ingresso na rede quanto para a avaliação de promoção do Programa Valorização Pelo Mérito”, garante o secretário Paulo Renato Souza.

As comissões têm como principal atribuição acompanhar o processo de elaboração das provas, verificando a adequação das exigências requeridas e o perfil definido dos profissionais do Quadro do Magistério a que se destinam. Cabe a elas ainda atuar:

- no processo seletivo de professor temporário, em 2010;

- no concurso de progressão na carreira, em 2010;

- na primeira etapa do concurso público para provimento de cargos de Professor de Ensino Básico II, em 2010.

Sobre o Programa Valorização Pelo Mérito

Aprovado na Assembléia Legislativa em 21 de outubro deste ano, o Projeto de Lei Complementar (PLC) 29/2009 que cria o Programa de Valorização Pelo Mérito está alinhado à política educacional do Governo do Estado, iniciada em 2006 e que privilegia professores, diretores e supervisores de ensino, valorizando o profissional de toda a rede de acordo com seu esforço e dedicação.

O Programa Valorização pelo Mérito conta com medidas que vão permitir aos professores quadruplicar o salário inicial da carreira desde que cumpram as regras de promoção e tenham notas mínimas em avaliações. A remuneração inicial para a jornada de 40 horas semanais, que hoje é de R$ 1.834,85, poderá chegar a R$ 6.270,78 ao longo da carreira, um aumento de 242%. Pelas regras atuais, a elevação máxima de salário é de 73%. “São Paulo dá um passo gigantesco para mudar a história das remunerações de professores no Brasil”, diz o secretário de Estado da Educação.
Fonte: www.educacao.sp.gov.br

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Resolução SE - 77, de 30-10-2009 - Estabelece normas para o atendimento à demanda escolar do Ensino Médio, para o ano de 2010, nas escolas da rede estadual, e dá providências correlatas.

Clipping Educacional - Da Educação

O Secretário da Educação, considerando: o esforço empreendido pelo Governo do Estado para assegurar a progressiva universalização do ensino médio gratuito, conforme o disposto no inciso II do artigo 208 da Constituição Federal; a necessidade de se estabelecerem diretrizes e procedimentos que garantam o adequado atendimento à demanda do ensino médio resolvem:

Artigo 1º - No processo de atendimento à demanda do ensino médio, inclusive na modalidade de educação de jovens e adultos, para o ano de 2010, as autoridades educacionais deverão contemplar:

I - alunos concluintes do ensino fundamental da própria escola;

II - alunos concluintes do ensino fundamental de escolas públicas, preferencialmente na mesma área de abrangência de sua residência; e
III - demais candidatos ao ingresso em qualquer série do ensino médio, inclusive na modalidade de educação de jovens e adultos, observada a legislação em vigor.

Artigo 2º - As inscrições de candidatos ao ensino médio e a efetivação das matrículas nas escolas estaduais serão realizadas exclusivamente por meio do Sistema de Cadastro de Alunos da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo, conforme a seguinte ordem de procedimentos:

I - consulta ao aluno concluinte do ensino fundamental em escola pública, sobre o interesse em cursar o ensino médio, em 2010, na rede estadual, procedendo à digitação no Sistema de Cadastro de Alunos da Secretaria de Estado da Educação;

II - cadastramento e digitação, no Sistema de Cadastro de Alunos, de candidatos que não freqüentaram escola pública em 2009 e demais candidatos que pretendam retomar os estudos em 2010, demandantes de vaga em qualquer série do ensino médio, inclusive na modalidade de educação de jovens e adultos;

III - definição, no Sistema de Cadastro de Alunos, dos concluintes do ensino fundamental de escolas públicas que confirmarem o interesse na matrícula em escola estadual de ensino médio;

IV - compatibilização entre a demanda e as vagas disponíveis;

V - efetivação da matrícula, no Sistema de Cadastro de Alunos, dos candidatos inscritos e dos alunos do ensino médio em continuidade de estudos;

VI - divulgação dos resultados para a comunidade escolar, afixando a listagem desses candidatos nas escolas receptoras da matrícula, nas escolas de origem e nos postos para aqueles inscritos conforme o disposto no inciso II deste artigo; e

VII - confirmação da matrícula no ensino médio, na escola de destino, pelo aluno ou responsável por ele.

LEIA NA INTEGRA

Fonte: http://www.imprensaoficial.com.br/

Servidor público de SP poderá ser atendido em 1.200 consultorios particulares no estado

Clipping Educacional - Diário de S.Paulo
SÃO PAULO - Os 1,3 milhão de usuários do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) poderão ser atendidos agora também por 1.200 médicos particulares em todo o estado. A novidade foi divulgada nesta quarta pelo governador José Serra, que também anunciou a distribuição de novas carteirinhas individuais e de um manual.
Até agora, os servidores só podiam ser atendidos nos hospitais credenciados. Hoje, além de essa rede aumentar de 82 para 121 unidades, eles também poderão passar em consultas nos 1.200 médicos credenciados. Com essa ampliação, os pacientes poderão ligar direto para o médico e agendar o atendimento. Como a rede era formada apenas por hospitais, se o servidor quisesse passar em consulta tinha que pedir a emissão de guias de atendimento.
Pela primeira vez, os servidores estaduais e seus parentes terão em mãos um guia do usuário, composto por um manual de orientação e outro com coberturas e serviços oferecidos na rede. O objetivo destes manuais, afirmou Serra, é dar opções aos usuários de escolher seu médico além de orientá-los.
O guia, que até então não existia, terá informações sobre coberturas e serviços médicos oferecidos nos 171 municípios. A meta, afirmou o governador, é ampliar o atendimento aos servidores de 198 municípios até o ano que vem.
Entre as mudanças está a criação de uma central de exames. Em novembro entrará em funcionamento a nova central de atendimento, com capacidade para receber 250 mil ligações por mês.
As novas carteirinhas serão entregues a partir de novembro. Outra mudança é que os usuários não precisarão apresentar o holerite para serem atendidos. Quem não receber a credencial, poderá utilizar o modelo antigo até 31 de março.
O governador explicou que estas mudanças fazem parte da recuperação do Iamspe. "Já investimos R$ 130 mil, dos R$ 250 mil destinados a entidade."
O Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) pretende investir R$ 34 milhões em reformas das suas instalações e na compra de equipamentos até o final de 2010. Segundo o governador José Serra, a intenção é melhorar o atendimento e modernizar os serviços oferecidos aos seus usuários.
Ontem, o governador visitou a nova ala de radiologia. Foi entregue até agora a primeira fase da reforma.
Serão R$ 14,7 milhões destinados às obras, sendo que R$ 4,6 milhões serão investidos ainda este ano e outros R$ 10,1 milhões no ano que vem.
Entre as mudanças programadas estão as reformas no ambulatório e na cozinha do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), além de adequação do espaço na radioterapia para instalação de aparelho acelerador linear.
Fonte: http://oglobo.globo.com/

Resolução SE - 75, de 29-10-2009 - docentes na aplicação das provas do Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo - SARESP

Dispõe sobre a participação de docentes na aplicação das provas do Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo - SARESP 2009 nas escolas da rede estadual de ensino.
O Secretário da Educação, considerando o estabelecido na Resolução SE - 30, de 30-04-2009, alterada pela Resolução SE - 58, de 13 08-2009, que dispõe sobre a realização das provas relativas ao Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo - SARESP, resolve:
Artigo 1º - para a aplicação das provas previstas no inciso IV do artigo 6º da Resolução SE - 30, de 30-04-2009, fica autorizada, onde houver necessidade, a participação de docentes da rede estadual de ensino, desde que em unidade escolar diversa daquelas nas quais lecionam.
§ 1º - para cumprimento do disposto no “caput” deste artigo, os Dirigentes Regionais de Ensino deverão adotar as providências para a convocação dos docentes, organizando o processo de acordo com as necessidades apontadas pelos respectivos Diretores de Escola.
§ 2º - Será considerado como de efetivo exercício para todos os fins, nos dias 10, 11 e/ou 12-11-2009, o período em que o docente atuar fora de sua unidade de exercício, na conformidade com o disposto neste artigo.
§ 3º - Observado o disposto no parágrafo anterior, as aulas previstas em período diverso daquele em que foi convocado deverão ser ministradas regularmente pelo docente.
Artigo 2º - Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.
Fonte: http://www.imprensaoficial.com.br

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Curso gratuito de Pedagogia

Curso é voltado para profissionais formados no magistério; inscrições vão até 6 de novembro

Os docentes da rede estadual têm até o dia 6 de novembro para efetuar a inscrição no curso gratuito de pedagogia oferecido pelo Programa Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Podem participar do processo seletivo professores em exercício no Estado, com formação em magistério.

Serão oferecidas 1.350 vagas. As inscrições devem ser feitas somente pela internet (no endereço eletrônico http://www.vunesp.com.br/ ), mediante pagamento da taxa no valor de R$ 70. A prova acontece no dia 6 de dezembro. A lista dos aprovados será divulgada no dia 07 de dezembro e a convocação será realizada em 19 de janeiro. O período de matrículas vai ocorrer entre os dias 3 e 5 de fevereiro. As aulas começam em março.

O curso semipresencial de Pedagogia UNESP/Univesp tem duração de três anos, com carga horária total de 3.390 horas (mesma carga horária da graduação já oferecida na modalidade totalmente presencial). Cerca de 60% das atividades são realizadas via Internet, e a parte presencial vai acontecer em dois encontros semanais nos pólos da Univesp. Os alunos contam ainda com material de apoio produzido pela Fundação Padre Anchieta e veiculado pelo canal digital Univesp TV.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Resolução SE 67 de 21/*10/2009 - Dispõe sobre a convocação de docentes para reassumir o exercício das respectivas funções

Dispõe sobre a convocação de docentes para reassumir o exercício das respectivas funções
O Secretário da Educação, à vista do que estabelece o artigo 1º das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 1.093, de 16 de julho de 2009, resolve:
Art. 1º - Ficam convocados, nos termos desta resolução, os docentes ocupantes de função-atividade, admitidos com fundamento na Lei nº 500/74 (categoria F), abrangidos pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar nº 1.010/2007, que se encontrem sem classe ou aulas atribuídas, em período de interrupção de exercício, para, até o dia 30 de outubro de 2009, comparecer às respectivas unidades escolares, sedes de controle de frequência, a fim de:
I - reassumirem efetivamente o exercício da função docente, com a atribuição de classe ou aulas, respeitada a ordem de classificação;
II - terem atribuição de carga horária equivalente a 12 (doze) horas semanais de trabalho, observado o disposto no caput do artigo 1º das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 1.093/2009, desde que esgotadas as possibilidades de atribuição de classe ou aulas nos termos do inciso anterior;
III - inscreverem-se, até o dia 30 de outubro de 2009, no processo de atribuição de classe e/ou aulas para o ano letivo de 2010.
§ 1º - Os docentes, cujas aulas atribuídas no respectivo campo de atuação não atingirem o limite previsto no inciso II, terão completada sua carga horária, até atingir o referido limite, de acordo com o disposto no inciso IV do artigo 1º das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 1.093/2009;
§ 2º - As 12 (doze) horas semanais de trabalho, das quais 10 (dez) horas em atividades com alunos e 2 (duas) horas em trabalho pedagógico coletivo (HTPCs) na unidade escolar, bem como as aulas atribuídas nos termos do inciso III deste artigo, deverão ser cumpridas pelo docente, obrigatoriamente, no exercício de substituições, em ocasionais ausências de professor responsável pela regência de classe ou pelo magistério de aulas, observado seu campo de atuação, independentemente da respectiva habilitação/qualificação, e, na desnecessidade de substituições, em outras atividades correlatas à função, designadas pelo superior imediato.
§ 3º - no exercício de substituições, conforme previsto no parágrafo anterior, a carga horária de 10 (dez) horas em atividades com alunos poderá ser ampliada, dentro dos limites legais semanal e diário, com remuneração em acréscimo, a título eventual.
§ 4º - Nas situações previstas nos parágrafos anteriores, os docentes, a que se refere este artigo, deverão, obrigatoriamente, participar de todas as sessões de atribuição que venham a se realizar em sua unidade escolar e na Diretoria de Ensino, a fim de assumir regularmente a regência de classe ou o magistério de aulas disponíveis, que sejam de sua habilitação/qualificação, neste caso até o limite de, no mínimo, 20 (vinte) aulas semanais, correspondente à carga horária da Jornada Inicial de Trabalho Docente, e, no máximo, de 33 aulas semanais, num total, neste caso, de 40 horas semanais de trabalho.
§ 5º - A atribuição, de que trata o parágrafo anterior, desde que se observe o campo de atuação e/ou os critérios de habilitação/qualificação, poderá ser feita ao docente independentemente da forma de admissão que caracterizou seu vínculo empregatício, no momento em que foi abrangido pelas disposições da Lei Complementar nº 1.010/2007.
Art. 2º - Aplicam-se as disposições do artigo anterior aos docentes abrangidos pelas disposições da Lei Complementar 1.010/2007 que, na data da publicação desta Resolução, tenham classe ou aulas atribuídas e que posteriormente venham a sofrer redução total ou parcial dessa atribuição, com assunção imediata do exercício correspondente a carga horária atribuída.
Art. 3º - O órgão setorial de Recursos Humanos desta Pasta adotará providências imediatas, no sentido de disponibilizar, em seu site, para cada Diretoria de Ensino, a relação de docentes da categoria F, que se encontram em período de interrupção de exercício, com vínculo em unidade escolar da respectiva jurisdição.
§ 1º - Os Dirigentes Regionais de Ensino divulgarão a presente convocação por edital e/ou por outros meios de comunicação, dando conhecimento a cada um dos servidores ora convocados.
§ 2º - O servidor que optar por não reassumir o exercício da função docente deverá requerer a sua dispensa, nos termos do inciso I do artigo 35 da Lei nº 500, de 13 de novembro de 1974.
§ 3º - da mesma forma será formalizada a dispensa das funções, a partir de 31 de outubro de 2009, do servidor que não atender à convocação no prazo estipulado no artigo 1º desta resolução, por descumprimento de suas atribuições.
Art. 4º - na segunda semana de novembro do corrente ano, as Diretorias de Ensino deverão realizar sessão única de atribuição, respeitada a ordem de classificação, a fim de que os docentes que não tiverem aulas regulares atribuídas na unidade de classificação possam assumir regularmente a regência de classe ou o magistério de aulas disponíveis, observada a legislação vigente, bem como garantir a fixação de sede de exercício do servidor que permanecer apenas com a carga horária mínima de trabalho.
§ 1º - A Diretoria de Ensino deverá, para os fins previstos no neste artigo, relacionar as unidades escolares disponíveis para a fixação da sede de exercício do servidor que não tiver classe/ aulas atribuídas, levando em consideração, entre outros critérios, a quantidade de docentes nessa condição, a oferta do nível de ensino correspondente e o histórico de substituições eventuais de cada escola.
§ 2º - O servidor de que trata o caput deste artigo, enquanto não tiver classe ou aulas regulares atribuídas, optará pelo comparecimento a uma das unidades escolares oferecidas pela respectiva Diretoria de Ensino, em um dos turnos de funcionamento e cumprirá a carga horária mínima de que trata o artigo 1º das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 1.093, de 16 de julho de 2009, distribuída por todos os dias da semana.
§ 3º - A opção do servidor pelas escolas relacionadas levará em conta a classificação atual do docente na respectiva Diretoria de Ensino, seguindo-se os critérios estabelecidos para a atribuição de classe ou aulas de 2009.
§ 4º - O órgão setorial de Recursos Humanos desta Pasta expedirá instruções complementares à aplicação do disposto nesta resolução.
Art. 5º - Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.
Fonte: http://www.imprensaoficial.com.br/

Programa Valorização pelo mérito é aprovado na Assembleia

Clipping Educacional - Da Educação
Projeto que permite aos professores quadruplicar o salário inicial vai mudar a história das remunerações do magistério no Brasil
Foi aprovado na madrugada desta quarta-feira (21), na Assembléia Legislativa, o Projeto de Lei Complementar (PLC) 29/2009 que cria o Programa de Valorização Pelo Mérito, que dá continuidade ao projeto de melhoria da qualidade da educação e da valorização do professor da rede estadual de São Paulo. “Esta é uma revolução na carreira dos professores do Estado de São Paulo que haverá de repercutir em todo Brasil”, afirmou o secretário de Estado da Educação, Paulo Renato Souza.
Sobre o Programa
Em 6 de outubro, o secretário Paulo Renato Souza esteve na Assembleia Legislativa para detalhar o então Projeto de Lei Complementar (PLC) 29/2009 em uma audiência pública com deputados e entidades de classe. À época, ele reiterou que o conceito do programa está alinhado à política educacional do Governo do Estado, iniciada em 2006 e que privilegia professores, diretores e supervisores de ensino, valorizando o profissional de toda a rede de acordo com seu esforço e dedicação.
O Programa Valorização pelo Mérito conta com medidas que vão permitir aos professores quadruplicar o salário inicial da carreira desde que cumpram as regras de promoção e tenham notas mínimas em avaliações. A remuneração inicial para a jornada de 40 horas semanais, que hoje é de R$ 1.834,85, poderá chegar a R$ 6.270,78 ao longo da carreira, um aumento de 242%. Pelas regras atuais, a elevação máxima de salário é de 73%. “São Paulo dá um passo gigantesco para mudar a história das remunerações de professores no Brasil”, diz o secretário de Estado da Educação.
O Programa Valorização pelo Mérito traz grandes vantagens para os professores e para a sociedade. O s integrantes do magistério poderão ter importantes ganhos de remuneração ao longo de suas carreiras em função apenas de seu esforço e dedicação, valorizando o mérito. As novas regras da promoção tornarão as carreiras do magistério mais atrativas para bons alunos egressos do Ensino Médio.
Os salários de diretores de escola e supervisores de ensino também poderão crescer mais com as novas regras. A remuneração de diretor de escola poderá chegar a R$ 7.147,05, mais de três vezes o salário inicial, que é de R$ 2.321,09. Sem as mudanças, o salário final de diretor de escola seria de R$ 3.786,03. No caso dos supervisores, a remuneração poderá chegar a R$ 7.813,63, mais de três vezes o salário inicial de R$ 2.509,11. Além desses valores, os profissionais do magistério ainda vão acumular vantagens como auxílio por localização de exercício, auxílio transporte, sextas partes e quinquênios, e levarão todos os benefícios para as suas aposentadorias. As mudanças fazem parte de Projeto de Lei enviado pelo governador Serra à Assembleia Legislativa no dia 6 de agosto deste ano.
As novas regras da promoção também estimularão o constante aperfeiçoamento dos atuais integrantes do magistério. Por meio dos exames, a Secretaria da Educação poderá direcionar o aperfeiçoamento do magistério para as áreas onde as deficiências forem mais notórias. A vinculação da assiduidade à evolução da carreira fará diminuir o absenteísmo nas escolas, melhorando o resultado do aprendizado. E a gestão escolar vai melhorar com diretores e supervisores mais focados no resultado escolar. “O programa vai dar uma contribuição muito importante para que a educação pública de São Paulo tenha professores mais preparados e uma gestão escolar mais eficiente”, afirma Paulo Renato.
Além do programa de valorização, os profissionais continuarão se beneficiando do Bônus por Resultado, que paga até 2,9 salários extras por ano para as equipes que superarem as metas estabelecidas para cada escola. Com o novo programa, os valores pagos pelo bônus serão ainda maiores, pois os salários serão maiores. O Programa Valorização pelo Mérito dá sequência ao amplo programa desenvolvido pelo Governo do Estado para melhorar a qualidade da educação, com medidas como o Programa Ler e Escrever (voltado a acelerar a alfabetização de crianças da primeira à quarta séries), o São Paulo Faz Escola (com novo currículo e materiais específicos para alunos e professores) e diversas modalidades de recuperação de aprendizagem para alunos com dificuldades, entre outras ações.
O Programa de Valorização pelo Mérito é a segunda etapa do Programa + Qualidade na Escola, lançado em maio pelo Governo do Estado. Em sua primeira fase, o programa criou a Escola de Formação de Professores de São Paulo, mudou a forma de ingresso dos profissionais do magistério (instituindo o curso de formação como última etapa do processo seletivo), criou duas novas jornadas de trabalho (de 12 e 40 horas semanais), abriu 80 mil novas vagas para cargos efetivos do magistério e regulamentou a situação dos professores temporários, instituindo o exame como requisito para sua atuação nas aulas.
SISTEMA DE PROMOÇÃO
O Programa Valorização pelo Mérito cria o Sistema de Promoção no Quadro do Magistério do ensino oficial do Estado de São Paulo, com cinco Faixas (1, 2, 3, 4 e 5) em cada uma das carreiras: professor, diretor e supervisor. Dentro de cada faixa são mantidas as evoluções previstas na legislação atual, baseadas em tempo de serviço e cursos que aprimoram a formação. As promoções significam uma evolução salarial na carreira com os seguintes percentuais de aumento:
• Promoção da Faixa 1 para a 2, equivalente a 25% da remuneração inicial
• Promoção para a Faixa 3, equivalente a 50% da remuneração inicial
• Promoção para a Faixa 4, equivalente a 75% da remuneração inicial
• Promoção para a Faixa 5, equivalente a 100% da remuneração inicial
A promoção poderá ser obtida pelos 130 mil integrantes efetivos do magistério. Os professores poderão participar da primeira promoção para a Faixa 2 após quatro anos de efetivo exercício no cargo. Os cerca de 80 mil professores temporários que se tornaram estáveis pela Lei 1010 (SPPrev) poderão participar do processo quando cumprirem quatro anos de seu primeiro vínculo com a Secretaria de Educação como temporários.
Em cada promoção o integrante do quadro do magistério poderá avançar apenas uma Faixa. Para concorrer à promoção da Faixa subseqüente deverá haver um intervalo de no mínimo três anos. O integrante do magistério que mudar de carreira mediante concurso público (de professor para diretor ou supervisor) terá garantido o enquadramento em faixa correspondente à remuneração imediatamente superior à que possuía no cargo anterior.
Poderão ser beneficiados em cada processo de promoção até 20% dos integrantes de cada uma das faixas. Essa limitação decorre da necessidade de tornar o programa sustentável do ponto de vista orçamentário. “Estamos fazendo uma valorização espetacular da carreira do magistério, mas as promoções são atreladas ao mérito e realizadas com senso de responsabilidade orçamentária”, diz o secretário Paulo Renato. As verbas para a realização do programa decorrem, principalmente, da exigência da Constituição paulista da aplicação de 30% do orçamento em educação e da exigência de que 60% dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) sejam aplicados no magistério ativo dos estados e municípios. “Estamos colhendo os frutos das boas políticas iniciadas anos atrás”, diz o ex-ministro Paulo Renato.
INCORPORAÇÃO DO ALE
O programa traz ainda um importante benefício para os professores e para as escolas das regiões mais vulneráveis do Estado. Para efeito de aposentadoria, serão incorporados aos salários dos integrantes do quadro do magistério 1/25 e 1/30 (mulheres e homens) do Adicional de Local de Exercício (ALE), por ano de permanência na escola. Pela proposta, o funcionário passará a descontar a contribuição previdenciária sobre esse valor.
O ALE é pago aos profissionais que atuam em unidades localizadas em áreas consideradas de níveis 4, 5 e 6 no Índice Paulista de Vulnerabilidade. O valor corresponde a 20% do salário base da carreira do magistério e 6% do salário base dos funcionários.
A nova regra de incorporação do ALE é um estímulo à permanência dos profissionais numa mesma escola, reduzindo a rotatividade de docentes e diretores.
REGRAS PARA PROMOÇÃO
A promoção para a Faixa subseqüente será obtida mediante processo seletivo com dois componentes: Exame de Promoção de Professores, a ser oferecido anualmente pela Secretaria de Estado da Educação; e análise da vida funcional do integrante do magistério nos anos anteriores.
Para a evolução nas Faixas serão exigidas as seguintes notas mínimas nos exames anuais de promoção:
• Da Faixa 1 para a Faixa 2, nota 6
• Da Faixa 2 para a Faixa 3, nota 7
• Da Faixa 3 para a Faixa 4, nota 8
• Da Faixa 4 para a Faixa 5, nota 9
O Exame de Promoção de Professores será realizado pela Escola de Formação de Professores de São Paulo. Sua elaboração levará em conta, no caso dos professores, os conteúdos curriculares de suas respectivas disciplinas, as práticas didáticas e os conhecimentos pedagógicos. No caso dos diretores e supervisores, os temas da moderna gestão escolar e práticas de administração e supervisão educacionais. Em todos os casos será valorizada a preparação do profissional para o uso das novas tecnologias na prática profissional.
A análise da vida funcional do integrante do magistério vai levar em conta a assiduidade e o tempo de permanência na mesma escola. O detalhamento das regras vai ser definido por meio de portarias da Secretaria da Educação.
As novas regras da promoção também estimularão o constante aperfeiçoamento dos atuais integrantes do magistério. Através dos exames, a Secretaria da Educação poderá direcionar o aperfeiçoamento do magistério para as áreas onde as deficiências forem mais notórias.
fonte:http://www.educacao.sp.gov.br/

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

FELIZ DIA DO PROFESSOR

Decreto Nº 54.910, de 14 de outubro de 2009. dispões sobre o expediente nas repartições públicas estaduais no dia 28 de outubro de 2009.

Dispõe sobre o expediente nas repartições públicas estaduais no dia 28 de outubro de 2009 e dá providências correlatas
JOSÉ SERRA, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, Considerando que o dia 28 de outubro é data consagrada às comemorações do “Dia do Funcionário Público”; e
Considerando que a transferência das comemorações do “Dia do Funcionário Público” para o dia 26 de outubro se revela conveniente para o servidor público e para a Administração Estadual,
Decreta:
Artigo 1º - O expediente do dia 28 de outubro de 2009 (quarta-feira) nas repartições públicas estaduais pertencentes à Administração Direta e Autarquias será normal, ficando, em substituição, declarado facultativo o expediente no dia 26 de outubro de 2009 (segunda feira).
Artigo 2º - O disposto neste decreto não se aplica às repartições públicas que prestam serviços essenciais e de interesse público, que tenham seu funcionamento ininterrupto.
Artigo 3º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação.
Palácio dos Bandeirantes, 14 de outubro de 2009
JOSÉ SERRA
Fonte: http://www.imprensaoficial.com.br/

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Escolas Estaduais de SP terão manual com normas de conduta para os alunos.

Clipping Educacional - Do G1, com informações do Jornal Hoje
Entre as faltas disciplinares estão fazer muito barulho e fumar.
Punição vai de advertência a pagamento em caso de dano material.
Para ajudar os professores e diretores a lidar com casos de violência, as escolas estaduais de São Paulo terão agora um manual com normas de conduta, direitos e deveres dos alunos -uma disciplina mais rígida, e que prevê punições.
“Como a violência permeia os muros da escola, nós podemos ter, por exemplo, a ação do tráfico de drogas em determinada escola e, com esse sistema, a gente consegue resolver ali o problema da escola”, diz Guilherme Bueno, secretário adjunto da Secretaria Estadual da Educação.
Entre as faltas disciplinares estão: fazer muito barulho, desrespeitar profissionais, fumar, quebrar equipamentos ou instalações, consumir ou vender bebidas alcoólicas ou drogas e portar armas. As punições incluem advertência verbal, suspensão, transferência e, em caso de dano material, o aluno ou responsável deverá pagar pelos prejuízos.
Marisa Batista Ribeiro, diretora de uma escola, aprova a medida. “Antes, nós não sabíamos exatamente a quem recorrer e o que fazer. Hoje, quer dizer nós não corremos o risco de errar com a legalidade da questão.”
Para esta educadora, a cartilha serve de respaldo para os professores tomarem decisões em situações delicadas, mas é preciso agir com sensibilidade. “Como educadores, não somos policiais. Nós não devemos punir no sentido do castigo, mas no sentido da construção do ser humano como cidadão.”
Punição
Nos últimos dias, alunos de uma escola estadual da Zona Sul de São Paulo foram divididos: um dia as meninas estudam. No outro, é a vez dos meninos. O rodízio por sexo foi a forma que a diretora encontrou para punir uma turma na qual um estudante ateou fogo a uma lixeira.
A medida gerou críticas de pais de alunos, mas revela também a dificuldade de educadores em lidar com a falta de limites - o que já levou até a destruição de escolas inteiras. Ou ao desacato, como nesta escola, onde um aluno só não agrediu a diretora porque um funcionário impediu. “O aluno estava extremamente nervoso, agressivo. Eu tive que segurá-lo com certa força para ele não partir para cima dela, de fato”, afirma Ivan Aparecido Xavier, agente de organização escolar.
Fonte: http://g1.globo.com/

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Inscrições Vestibulinho ETEC - Piracicaba

Estão abertas as inscrições para o Vestibulinho Etec 2010, as inscrições podem ser feitas no período de 05/10 até às 15h do dia 26/10 e o exame será dia 29/11/09 às 13h30min. Maiores informações pelo site: http://www.vestibulinhoetec.com.br/home/

Visita dos alunos ao Centro de Estudos do Universo em Brotas


Alunos do Ensino Fundamental visitaram no dia 19/09/2009 o Centro de Estudos do Universo com o objetivo de conhecer o planetário , proporcionando aos alunos a oportunidade de conhecerem diferentes constelações e toda magia que envolve o universo. Aproveitando a oportunidade conheceram o Acampamento Peraltas, que desenvolve diferentes atividades.Essa visita foi organizada com o apoio da Coordenadora Maria de OLiveira e das Professoras Célia Camilli e Mariete da Silva.
Contamos com a colaboração da Prefeitura Municipal que nos ofereceu o transporte.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Provas Enem 2009.

Após a fraude na aplicação da avaliação do ENEM 2009, o MEC disponibilizou no site www.enem.inep.gov.br as avaliações que seriam aplicadas nos dias 03 e 04 de outubro. Esta é uma nova oportunidade aos inscritos no ENEM de se prepararem para a avaliação que ocorrerá provavelmente na 1ª quinzena de novembro.

Concurso Censo 2010

Estão abertas as inscrições para interessados em trabalhar no Censo 2010, para Santa Maria da Serra existem 02 vagas: 1 para Agente Censitário Supervisor e 01 para Agente Censitário Municipal. As inscrições podem ser feitas pelo site: http://www.cesgranrio.org.br/eventos/concursos/ibge0509/ibge0509.html.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

CARTILHA DOS DEVERES E DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Clipping Educacional - Blog Sabedoria dos Mestres
“Esta lei dispõe sobre a proteção integral á criança e ao adolescente, considera-se criança, para efeitos desta lei, a pessoa até doze (12) anos de idade incompletos e adolescentes aquela entre doze (12) e dezoito (18) anosde idad. (Art. 1º e 2º do ECA).”
Está cartilha pretende mostrar a você educador, cidadão, criança, adolescente, poder público, gestores e sociedade que é dever assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes á vida, á saúde, á alimentação, á educação,ao esporte, ao lazer, á profissionalização, á cultura, á dignidade, ao respeito, á liberdade e a convivencia familiar e comunitaria independentemente da idade de cada um.
Sempre que toda criança e adolescente tiver dúvidas a respeito de seus DIREITOS E DEVERES, deverá procurar o CONSELHO TUTELAR.
Porque o CONSELHO TUTELAR tem o compromisso de garantir e assegurar com absoluta prioridade á efetivação dos DIREITOS E DEVERES da criança e do adolescente.
O Conselho Tutelar é responsavel:
I- Atender e aconselhar crianças e adolescentes
II - atender e aconselhar os pais e responsáveis na tutela ou guarda de seus filhos
III - Informar os direitos e deveres (limites) da criança e adolescente
IV - Ouvir queixas e reclamações dosdireitos e deveres ameaçados e/ou violados
V - Requisitar serviços públicos nas áreasde saúde, educação, serviço social, prvidencia, trabalho e segurança
VI - Garantir e fiscalizar os direitos e deveres da criança e do adolescente
VII - Participar de ações que combata a violencia, a discriminação no ambiente escolar, familiar e comunitário

DIREITOS
O que é justo conforme a lei:
Privilegio que alguém tem de exigir conjunto de normas e regras proteção integral.
À vida e saúde
À liberdade, respeito e dignidade
À convivencia familiar e comunitaria
À educação, cultura, esporte e lazer
À profissionalização e proteção ao trabalho.

DEVERES
Cumprir regras e normas
Obedecer a ordens dos pais, familiares e professores
Participar da convivencia familiar e comunitária
Estudar e frequentar a escola
Respeitar todas as pessoas independentesde raça, cor, sexo, religião ou classe social
Praticar os bons costumes
Conhecer os valores da escola, da família, e da sociedade
Preservar os espaços públicos e meio ambientes
Procurar o conselo tutelar sempre que tiver dúvida sobre direitos e deveres a serem cumpridos.
DIREITOS:
VIDA E SAÚDE:
Nascimento e desenvolvimento sadio e harmonioso
Condições originais de saúde e vida
Garantia pelo atendimento pelo sistema unico de saúde (SUS)
Atendimentos especializados
Medicamentos, próteses, orteses e outros recursos relativos ao tratamento de habiulitação e reabilitação
Tratamento especializado em depemdencia quimica (alcool, cigarro, maconha, cocaína…)
Saneamento básico ( rede de esgoto, tratamento de água)
Prioridade absoluta no atendimento hospitalar e ambulatorial
Politicas públicas voltadas á criança e adolescente.

LIBERDADE, RESPEITO E DIGNIDADE:
Ir e vir em lougradoros públicos e espaços comunitários
Participar da vida familiar e comunitáriaBrincar, praticar esportese divertir-se:
Condições humanas de existencia (moradia descente, ruas das cidades limpas e pavimentadas)Liberdade de expressão (expor as idéias dentro do contexto):
Ser respeitado como cidadão de direitos e deveres:
Ser respeitado como pessoas humana em processo de desenvolvimento psicologico e físico.

CONVIVENCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA
Ser assistido, criado e educado por uma famíliaReceber sustento, moradia, higiene e vestuário
Convivio com a famili (ser amado e respeitado)
Socializar-se com outros crianças e adolescentes
Ir e vir em ambientes familiares (com pais de moradias diferentes).

EDUCAÇÃO, CULTURA, ESPORTE E LAZER:
Igualdade de condições para acesso e permanencia na escola
Ser respeitado por seus educadores e funcionários:
Organizar e ajudar nas atividades escolares
Acesso a escola pública e gratuita próxima a sua residencia
Atendimento educacional especializado aos portadores de necessidades especiais na escola regularProgramações educacionais, culturais, esportivos e lazer:
Organizaçao e participação em entidades estudantis
Ensimo fundamental, obrigatório e gratuito inclusive para os que a ela não tiveram acesso na idade própria
Progressiva extensão da obrigatóriedade e gratuitaao ensino médio
Atendimento em creche e pré-escola ás crianças de zero a seis anos de idade.

DEVERES:
Respeitar ordens do pai ou rsponsavel legal, familiares, escola, idosos e comunidade em geral:
Respeitar os horrios estabelecidos para crianças e adolescentes
Não permanecer em casas de jogos, bailoes , bares e similares além do horario permitido por lei
Participar das atividades familiares e comunitários
Amar as pessoas com quem convive
Respeitar a si mesmo e todas as pessoas independentes de raça, cor, sexo, religião, classe social ou idade
Ajudar nas tarefas de casa (arrumar seu quarto, secar a louçaentre outras tarefas domésticas isso se chama “educação doméstica”
Ir á escola com frequencia
Participar das atividades educacionais, culturais, esportivas e lazer
Respeitar seus educadores e funcinários da escola
Estudar em horarios fora da escola (em casa e bibliotecas)
Fazer as tarefas diariamente
Perguntar ao professor quand tiver dúvida
Respeitar os colegas de classe
Ser organizado com seus materiais
Manter a escola limpa
Estudar com disciplima e postura
Cumprir com os compromissos escolares
Usar uniforme
No processo educacional respeitar-se-ão os valores culturais, artisticos e historicos proprios do contexto social da criança e do adolescente, garantindo-se a estes a liberdadede criança e o acesso ás fontes de cultura.
Os municipios, com apoio dos Estados e da União, estimularão e facilitarão a destinação de recursos e espaços para as programações culturais, esportivas e de lazer voltadas para a infancia e a juventude( artigos 58 e 59 do ECA)
http://www.blog.sabedoriadosmestres.com/2008/10/28/cartilha-dos-deveres-e-direitos-da-crianca-e-do-adolescente/

Fraude no Enem terá investigação da PF, diz Haddad

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou hoje em entrevista à Rádio Eldorado, que será aberta uma linha de investigação com a Polícia Federal para apurar o vazamento da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), denunciado pelo jornal O Estado de S. Paulo. "Eu vou falar agora pela manhã com o ministro Tarso Genro (Justiça), que está nos apoiando nesse processo todo. Eu tenho a esperança que essas pessoas sejam rapidamente identificadas, até porque foram muito amadoras no contato com os jornalistas do jornal O Estado de S.Paulo".


Segundo o ministro, depois que o jornal entrou em contato com o ministério para que fosse atestada a veracidade do exemplar oferecido, uma equipe do MEC foi até o cofre do Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep), órgão responsável pela execução da prova do Enem. "Por volta da 1h da manhã, recebi ligação do presidente do Inep de que havia fortes indícios de que poderia ser uma prova do Enem", disse Haddad. "Diante desse fato, nós não temos como aplicar essa prova", completou. O exame aconteceria nos dias 3 e 4.

De acordo com Haddad, o MEC tem outros jogos de questões já elaborados para que possam ser impressos num regime de segurança diferente do que foi montado dessa vez. "Vamos tomar as providências para que se remarque o dia da prova, porque felizmente isso foi descoberto antes da aplicação da prova. Você já imaginou se os alunos tivessem feito a prova e descoberto na segunda ou na terça-feira que os resultados não poderiam ser utilizados?"

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Docentes da rede estadual podem concorrer a prêmio do MEC

Clipping Educacional - Da Secretaria da Educação
Objetivo é divulgar experiências de sucesso na educação pública
Profissionais da rede estadual, dos níveis Fundamental e Médio, podem se inscrever para concorrer ao prêmio "Professores do Brasil", realizado pelo Ministério da Educação (MEC). A premiação busca divulgar experiências de sucesso na busca da qualidade da educação pública e reconhecer o trabalho dos professores em todo o País. Os vencedores vão receber entre R$ 2 mil e R$ 5 mil em equipamentos audiovisuais ou multimídia para a escola. Os interessados devem se inscrever até dia 30 de setembro no site da premiação (http://portal.mec.gov.br/premioprofessoresdobrasil/). Podem participar educadores que tenham desenvolvido ou que desenvolvam projetos de estímulo à permanência dos alunos na escola, de fortalecimento das atividades coletivas e de melhoria do desempenho das escolas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).Após a inscrição, o candidato terá que comprovar a experiência com fotos, vídeos ou ilustrações. O prêmio Professores do Brasil é realizado pelo Ministério da Educação, em parceria com o Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e Organização dos Estados Ibero-Americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI). As fundações Bunge e SM e os institutos Pró-Livro e Votorantim são os patrocinadores.
fonte:http://www.saopaulo.sp.gov.br

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Rotatividade de diretor afeta avaliação de escolas


ANTÔNIO GOIS
da Folha de S.Paulo, no Rio

O que explica que, na mesma rede, algumas escolas tenham resultados tão diferentes? Um estudo realizado a partir do Saresp 2008 (avaliação do ensino paulista) e da Prova Brasil 2007 (avaliação federal) mostra que, além de características dos alunos --que são responsáveis por mais de 70% do resultado final--, fazem diferença variáveis como diretor experiente, professores assíduos e estáveis e uso efetivo do livro didático.

Em escolas da rede estadual paulista com piores notas, por exemplo, apenas 17% dos diretores estavam no cargo havia mais de seis anos. Nas melhores, essa proporção chegava a 47%. A média da rede é de 31%. O trabalho mostra que 35% das escolas estaduais convivem com alto índice de faltas de professores. Nas piores, essa proporção chega a 38% e, nas melhores, fica em 28%.

O estudo é dos pesquisadores Naercio Menezes Filho, Diana Nuñez e Fernanda Ribeiro, e parte dele foi publicado no livro "Educação Básica no Brasil" (editora Campus), lançado em agosto. Foram comparadas características das 10% melhores e 10% piores escolas pelas médias do Saresp e identificadas variáveis que estavam associadas a um aumento significativo das notas dos alunos. Outra constatação foi que, nas melhores, quase todos os alunos tinham acesso a livros didáticos e, em outubro, mais de 80% de seu conteúdo havia sido dado.

Para especialistas, o desafio de manter diretores e professores por mais tempo é maior nas escolas de periferia, mais afetadas pela violência e menos atrativas aos profissionais.

"Professores e diretores tendem a procurar escolas mais próximas de sua residência, em áreas de classe média. Quando estão em bairros de maior vulnerabilidade, longe de casa, tentam logo mudar. Por isso a rotatividade é maior", diz o secretário de Educação do Estado, Paulo Renato Souza.

O presidente do sindicato dos diretores de SP, Luiz Gonzaga Pinto, diz que faltam ações para que as práticas das melhores escolas se disseminem e cobra mais políticas para tornar escolas de periferia mais atrativas. Maria Izabel Noronha, do sindicato dos professores, concorda: "Essas escolas já começam discriminadas pelo péssimo estado dos prédios, muitas vezes construídos às pressas para atender a demanda."

Os dois concordam também que apenas o pagamento de um adicional por local de exercício --que hoje agrega 20% ao salário de professores em regiões consideradas vulneráveis-- é pouco para manter os profissionais nessas escolas.

Souza diz que o Programa de Valorização pelo Mérito --encaminhado à Assembleia Legislativa-- agrega outros incentivos. Um deles é considerar, nas novas regras de promoção, o número de faltas e o tempo de permanência na escola.

domingo, 20 de setembro de 2009

Atribuição de aulas na rede estadual de ensino e sobre a admissão de docentes por prazo certo e determinado (Instrução Conjunta CEI/ Cenp/Cogesp/DHRU)

DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS
Instrução Conjunta CEI/Cenp/Cogsp/DRHU, de 18-9-2009
Dispõe sobre a atribuição de aulas na rede estadual de ensino e sobre a admissão de docentes por prazo certo e determinado
Os Dirigentes da Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas, da Coordenadoria de Ensino do Interior, da Coordenadoria de Ensino da Região Metropolitana da Grande São Paulo e do Departamento de Recursos Humanos, considerando a necessidade de se assegurar aos alunos o oferecimento das aulas na forma estabelecida em lei e de se garantir o prosseguimento dos estudos, observados os conteúdos, atividades e demais ações previstas na proposta pedagógica da escola, expedem a presente Instrução:
1 - a Lei Complementar nº 1.093 de 16, publicada em 17 de julho de 2009, que dispõe sobre a contratação de servidores temporários, impede que ocorra nova contratação da mesma pessoa, com o mesmo fundamento legal, antes de decorridos 200 (duzentos) dias do término do contrato.
2 - a mencionada lei complementar assegurou aos docentes temporários “categoria L”, que se encontravam admitidos em 17 de julho de 2009, a prorrogação da contratação até o final do ano de 2011, sem que haja interrupção do mínimo de 200 dias.
3 - Estabeleceu, ainda, a obrigatoriedade da aplicação de uma Prova de Conhecimentos, antecedendo o processo de atribuição de aulas, exigindo que o candidato obtenha a aprovação para poder ser contratado temporariamente.
4 - Cabe lembrar que regra idêntica havia sido fixada para os atuais docentes temporários, abrigados pela Lei Complementar nº 1.010, de 1º de junho de 2007, categoria “F”, que passarão por uma Prova para concorrer à atribuição de aulas.
5 - Assim, para a atribuição de aulas no próximo ano letivo, a Secretaria da Educação organizará uma Prova de Conhecimentos, para todos os professores não efetivos, e nos próximos dias estará divulgando as regras, datas e os demais esclarecimentos necessários.
6 - no entanto, para o processo de contratação de professores no corrente ano letivo poderá ser utilizada a classificação vigente.
7 - Assim, a vedação à atuação continuada do contratado, sem que haja a interrupção do mínimo de 200 (duzentos) dias (item 1), só se aplicará, no caso dos docentes, já nos próximos anos, àqueles contratados após publicação da LC 1.093/2009, vez que não se aplica aos docentes temporários que já se encontravam admitidos em 17 de julho de 2009, seja na condição de Categoria “F” ou na condição de Categoria “L”.
8 - no caso de docentes, ainda de acordo com a LC 1.093/2009, a extinção do contrato só se dará no final do ano letivo fixado no calendário escolar, ou seja, o docente temporário não é dispensado durante o ano letivo, ainda que inicie sua contratação em razão de substituição por período pequeno ou até para atuação como docente eventual.
9 - Podemos concluir, então, que, as aulas disponíveis na rede estadual de ensino podem ser atribuídas, respeitados a classificação e o limite de 200 aulas mensais, aos docentes:
* Efetivos - para aumento de carga horária;
* Temporários - categoria “F”, em exercício ou não;
* Temporários - categoria “L”, em exercício ou não, mas que estavam vinculados em 17/7/2009.
10 - Se após o atendimento na forma detalhada no item anterior, ainda houver aulas disponíveis, cabe à Diretoria de Ensino orientar às unidades escolares de que poderá ocorrer a atribuição de aulas a novos candidatos ou a docentes que estavam desvinculados seja esclarecido de que permanecerá admitido por durante todo o restante do ano letivo; seja orientado de que o preenchimento do seu contrato, para fins de registro e pagamento, ocorrerá somente após publicação de modelo oficial que acompanhará Instrução da Unidade
Central de Recursos Humanos da Secretaria de Gestão Pública.
11 - o contrato de trabalho e o pagamento das aulas ministradas pelos servidores de que trata o item anterior retroagirão à data do início do exercício e serão providenciados assim que for divulgado o modelo oficial por meio da Instrução UCRH da Secretaria de Gestão Pública, não sendo necessário aguardar qualquer publicação.
12 - E, remanescendo, ainda, aulas disponíveis para atribuição, considerando a necessidade de atender aos mínimos de carga horária e de dias letivos, fixados na Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 - LDB, caberá às Diretorias de Ensino orientar as unidades escolares quanto: às diretrizes que evitem, quando possível, afastamentos de docentes para atividades administrativas, exceto se a unidade contar com substituto para as respectivas aulas; ao atendimento às aulas regulares, priorizando a atribuição das mesmas em relação a aulas de projetos e/ou de enriquecimento curricular.
Fonte: http://www.imprensaoficial.com.br/

Professores que forem aprovados em SP só darão aulas em 2011

O secretário da Educação do Estado de São Paulo, Paulo Renato Souza, confirmou ontem (17) que os mais de 10 mil professores que poderão ser admitidos na rede básica de ensino ingressarão em sala de aula apenas em 2011. O concurso deverá ocorrer em março.
Pelo planejamento inicial do governo, o concurso seria realizado em setembro deste ano. Assim, os professores já poderiam atuar a partir de 2010.
O atraso, segundo Paulo Renato, deu-se porque a programação traçada pela secretaria mostrou que os professores entrariam em aula na metade do primeiro semestre.
"Rotação"
"Estaríamos provocando uma rotação na rede. Mesmo que fizéssemos para o meio do ano, também estaríamos provocando essa rotação. Isso, pedagogicamente, não é conveniente", afirmou o secretário.
A prova que aconteceria em setembro seria a primeira etapa do concurso. Depois, os aprovados teriam de realizar um curso de cerca de quatro meses na Escola de Formação de Professores do Estado --o curso tornou-se obrigatório por medida aprovada neste ano.
O processo contempla ainda uma terceira etapa: uma prova feita após o curso.Paulo Renato negou que a mudança no planejamento tenha ocorrido por possíveis atrasos na preparação do curso ou em liberação de verbas.
Segundo ele, o novo planejamento da secretaria prevê ter todo o processo do concurso concluído entre outubro e novembro de 2009 para que seja feita a nomeação.
Paulo Renato disse também que não faltarão professores por causa da mudança na realização do concurso e que muitos dos aprovados poderão ser docentes que já trabalham hoje como temporários.
Segundo a Secretaria da Educação, a rede estadual tem hoje cerca de 230 mil professores, sendo aproximadamente 100 mil temporários.
Demora
A presidente da Apeoesp (sindicato dos professores do Estado), Maria Izabel Azevedo Noronha, afirma que a medida é positiva ao dar mais tempo para os candidatos estudarem para o concurso.
"Faz sentido também quanto à organização do ensino", diz a sindicalista.Ela afirma que o importante é haver concurso e que o governo publique com antecedência o edital, que traz a bibliografia exigida. "Só o que não pode é ficar adiando, adiando..."
A opinião é semelhante à do professor da Faculdade de Educação da USP Rubens Barbosa de Camargo.
"É claro que, do ponto de vista organizacional, é muito melhor que os novos professores cheguem no final do ano, para iniciar a preparação, ou já no início para as aulas", afirma.
"Só lamento que, com um contingente tão grande de professores temporários, o concurso tenha demorado tanto", afirma. Para Camargo, o ingresso durante o ano letivo afeta a lógica de funcionamento do ensino.
fonte:http://www1.folha.uol.com.br

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

10.083 para professores de 5ª a 8ª série do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

O governador José Serra autorizou na última segunda-feira (14/9), por meio de um despacho, a abertura de um concurso público para viabilizar o preenchimento de 10.083 vagas de professores de 5ª a 8ª série do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Este é o número inicial de vagas para a primeira convocação de aprovados. O decreto do governador também prevê que o mesmo concurso possa efetivar candidatos aprovados em vagas remanescentes que surgirem durante o prazo de validade do concurso.

Os aprovados terão que passar por um curso oferecido gratuitamente pela Escola de Formação de Professores do Estado de São Paulo, obrigatório para novos professores da rede pública.

O curso integra o Programa +Qualidade na Escola, que traz medidas importantes para melhorar a qualidade da educação no Estado. Serão 360 horas de formação durante quatro meses com atividades semipresenciais e práticas escolare s . “Estamos enfrentando com muito vigor um problema fundamental da educação, que é melhorar a preparação do professor para o aprendizado dos alunos”, diz o secretário Paulo Renato.

Após a publicação do despacho no Diário Oficial do Estado de São Paulo de hoje, o secretário da Educação, Paulo Renato Souza, instituiu uma comissão presidida pela professora Vera Cabral, diretora da Escola de Formação de Professores do Estado de São Paulo, que ficará encarregada de indicar o temas e a bibliografia, definindo os critérios da prova. De acordo com a professora, a previsão é que os exames sejam realizados em março de 2010.

Rede

Atuam hoje na rede pública estadual 210 mil professores, sendo 130 mil efetivos e 80 mil temporários. São 5.300 escolas onde estudam cinco milhões de estudantes. As medidas do Programa + Qualidade na Escola seguem outras ações adotadas pelo Governo para melhorar a qualidade da educação, como a política de bonificação e avaliação do desempenho, o programa Ler e Escrever, a definição de currículos e diversas formas de recuperação do aprendizado. “É um trabalho consistente e corajoso que vai melhorar a qualidade da nossa educação”, diz o secretário Paulo Renato.

Fonte: http://www.educacao.sp.gov.br

Docentes da rede estadual podem concorrer a prêmio do MEC

Clipping Educacional - Da Secretaria da Educação
Objetivo é divulgar experiências de sucesso na educação pública
Profissionais da rede estadual, dos níveis Fundamental e Médio, podem se inscrever para concorrer ao prêmio "Professores do Brasil", realizado pelo Ministério da Educação (MEC). A premiação busca divulgar experiências de sucesso na busca da qualidade da educação pública e reconhecer o trabalho dos professores em todo o País. Os vencedores vão receber entre R$ 2 mil e R$ 5 mil em equipamentos audiovisuais ou multimídia para a escola. Os interessados devem se inscrever até dia 30 de setembro no site da premiação (http://portal.mec.gov.br/premioprofessoresdobrasil/). Podem participar educadores que tenham desenvolvido ou que desenvolvam projetos de estímulo à permanência dos alunos na escola, de fortalecimento das atividades coletivas e de melhoria do desempenho das escolas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Após a inscrição, o candidato terá que comprovar a experiência com fotos, vídeos ou ilustrações. O prêmio Professores do Brasil é realizado pelo Ministério da Educação, em parceria com o Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e Organização dos Estados Ibero-Americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI). As fundações Bunge e SM e os institutos Pró-Livro e Votorantim são os patrocinadores.
Fonte: http://www.saopaulo.sp.gov.br

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

MEC ainda avalia possível adiamento da Prova Brasil

SÃO PAULO - A secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Maria do Pilar Lacerda, disse nesta segunda-feira que a pasta ainda avalia a possibilidade de adiar a realização da Prova Brasil, prevista para ser aplicada entre os dias 19 e 30 de outubro. O pedido foi feito pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) na semana passada. A entidade acredita que a prorrogação das férias em várias redes de ensino em função da epidemia da influenza A (H1N1) – gripe suína – pode prejudicar o desempenho dos alunos.


Mas, na avaliação de Pilar, o resultado da Prova Brasil não será afetado porque o exame avalia todo o conhecimento adquirido pelo aluno nos quatro primeiros e nos quatro últimos anos do ensino fundamental. “A prova avalia o conjunto da aprendizagem, não é o pontual. Ela não aborda conteúdos específicos, mas as habilidades adquiridas pelos aluno no conjunto dos anos”, afirmou.

A Prova Brasil avalia as competências de alunos do 5° e do 9° anos do ensino fundamental (antigas 4ª e 8ª séries) em língua portuguesa e matemática. É a partir do resultado desse exame que são construídos os principais indicadores educacionais, inclusive o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Ela é aplicada a cada dois anos. As edições anteriores foram em 2005 e 2007.

Pilar compara que a logística de aplicação da Prova Brasil, que ocorre nas próprias escolas, é bem diferente da do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Alguns colégios, especialmente particulares, pediram que o Enem também fosse adiado, mas, segundo o MEC, não havia condições em função da complexa logística da prova. O exame será aplicado nos próximos dias 3 e 4 de outubro a 4,5 milhões de estudantes em mais de mil municípios

Brasil precisa melhorar indicadores educacionais, diz especialista

SÃO PAULO - Os indicadores educacionais do Brasil precisam ser ampliados e ir além da análise de desempenho dos estudantes, defendeu a coordenadora de programas da Ação Educativa, Vera Masagão, durante debate desta segunda-feira sobre os dois anos do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE).

- Pesquisador do Ipea diz que desigualdades sociais estão "cristalizadas" na educação
- Brasil precisa dar mais espaço a políticas regionais, diz boletim do Ipea


Uma das principais ações do PDE, lançado em 2007, foi a criação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), uma espécie de termômetro da qualidade da educação. Ele leva em consideração o desempenho dos alunos nas avaliações que medem as competências em matemática e linguagens, além das taxas de aprovação e reprovação.

Para Vera, o Ideb é um indicador importante e produziu um bom impacto nas ações políticas dos gestores. Mas é necessário avaliar outras duas dimensões que compõem o universo escolar: a distribuição dos recursos e insumos escolares que influenciam na qualidade do ensino.

A especialista ressalta que nem sempre os recursos do orçamento da educação são alocados na área. “Em São Paulo a gente tem um programa de distribuição de leite para os alunos que custa R$ 200 milhões. Enquanto isso, o programa de formação de professores alfabetizadores custa R$ 17 milhões”, compara.

O ideal seria criar um indicador que pudesse medir exatamente o que é gasto em educação para avaliar o que está “dando certo em termos de investimento”. Outra dimensão que precisa ser avaliada, segundo Vera, são fatores como o corpo docente e a infraestrutura da escola.

Fonte: www.ig.educacao

Revolução na escola: Como o novo Enem vai mudar a forma de transmitir e avaliar o conhecimento nas instituições de ensino. E essas transformações come


Os professores também serão obrigados a se atualizar. Quem não voltar a estudar e valorizar a transmissão de um ensino inteligente, está fadado a ficar para trás. O aluno está antenado 24 horas por dia, por todos os meios possíveis, graças ao acesso à tecnologia.

Precisa, porém, aprender a organizar tanta informação. "Ele traz o novo ao professor", diz Gracia Klein, diretora pedagógica do Colégio Pentágono, em São Paulo. Esses profissionais não podem mais negar que os alunos pensam junto com o mestre.

Por exemplo, o professor que ignora a capacidade de quem alcança o resultado de uma equação por um caminho diferente da fórmula predeterminada não está aberto para a interação e o questionamento. E a figura autoritária não é respeitada pelo estudante do século XXI. Não é surpresa perceber que as escolas mais bem colocadas no ranking do Enem são justamente as que oferecem um ensino baseado na interdisciplinaridade e investem na formação da equipe.

Em São Paulo, professores de colégios badalados ganham em média R$ 7 mil, por 40 horas de aula semanais. Eles são titulados e recebem toda a estrutura necessária dos empregadores para aperfeiçoamento. "Depois da publicação dos resultados do Enem, escolas de outros Estados vêm nos visitar para conhecer a metodologia que aplicamos", diz Adilson Garcia, diretor do Colégio Vértice, o primeiro no ranking da capital paulista.

Em cinco anos, a escola passou de 600 alunos para 900, tamanha a procura. Para cada uma das 100 vagas oferecidas anualmente, há cerca de oito famílias interessadas. No Colégio São Bento, no Rio de Janeiro, primeiro colocado no ranking nacional do Enem, a constância do modelo de ensino é o que o leva ao sucesso. "Não preparamos o aluno para este ou aquele tipo de vestibular", diz Pedro Araújo, coordenador de ensino médio. "Procuramos dar uma preparação sólida."


Pensando no futuro
No primeiro ano do ensino médio, Caio já estuda com foco no processo de seleção para a universidade

Estudar numa escola com mestres motivados, bem estruturada e incentivadora do raciocínio traz confiança aos candidatos a uma futura vaga nas melhores universidades. "Estou sendo preparado desde já", diz Caio Becker, 16 anos, estudante do primeiro ano do ensino médio do Centro Educacional da Lagoa, no Rio de Janeiro.

Felipe Cabral, 17 anos, aluno do terceiro ano do Vértice, diz sentir segurança com o que aprendeu na escola para disputar uma das vagas de engenharia da computação em instituições de calibre. "Nenhum cursinho me prepararia melhor", afirma. Sua colega Andressa Mendonça, 17 anos, é da mesma opinião.

"Tive contato com pessoas de outras escolas e percebi que estou mais bem preparada", fala a jovem, que sonha com a carreira de arquiteta. O Enem se tornou um indicador de qualidade tão importante que pais de crianças já escolhem a escola dos filhos usando o ranking como critério.

Com dois filhos ainda no ensino fundamental, a arquiteta Carla Pimentel resolveu que eles deveriam ingressar numa escola que rendesse bons resultados no exame nacional. No ano passado, transferiu Maria Inês, 12 anos, e João Vitor, 14, para o Liceu Franco- Brasileiro, no Rio de Janeiro. "Escolhi o colégio porque está bem colocado no ranking", afirma. "Isso me dá a certeza de que há chances maiores de acesso a boas universidades e também no mercado de trabalho."

A preocupação é válida, mas precipitada. Primeiro por não existirem garantias - apesar de ser a hipótese mais provável - de que as escolas campeãs no Enem hoje continuem assim com o passar do tempo. Segundo, porque vale mais optar por uma instituição na qual os valores são semelhantes aos da família da criança.

"Não adianta colocar no colégio rígido por ser o melhor, se em casa a educação é mais liberal", diz Osmar Ferraz, coordenador de vestibular do Colégio Bandeirantes, em São Paulo. Por fim, deixar a criança numa escola em que ela não consegue acompanhar o ritmo puxado pode ser um massacre, que gera traumas e interfere na boa formação


Mobilidade estudantil
Para Miguel Jorge, concorrer em mais de uma universidade é vantagem da prova
"Com o novo Enem haverá uma democratização do acesso ao ensino superior. É um avanço"
Miguel Roberto Jorge, pró-reitor de graduação da Unifesp

Pais que desejam garantir uma educação de qualidade devem ficar atentos se a escola escolhida está adaptada às atuais regras do ensino fundamental. Antes, era obrigatório dos 7 aos 14 anos (da 1ª a 8ª série). A nova faixa etária vai dos 6 aos 14 anos (do 1° ao 9° ano). Além de um ano a mais de estudo, as diretrizes pedem espaço ao conceito de letramento, que significa ensinar as crianças a ler e escrever compreendendo a essência dos exercícios.

O raciocínio lógico também passa a ser valorizado desde cedo. É nessa linha que segue o Pisa (sigla em inglês para Programa Internacional de Avaliação de Alunos), promovido a cada três anos pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), que mede o conhecimento entre jovens de 14 e 15 anos de diversas nações. E o Brasil vai mal. No último resultado, de 2007, os alunos brasileiros obtiveram médias que os colocam, entre 57 países, na 53ª posição em matemática, na 48ª em leitura e na 52ª em ciências.

Outra característica inovadora do Enem é a possibilidade de o candidato concorrer com a mesma prova em até cinco universidades federais. Um avanço que aumenta as chances de ingresso em instituições qualificadas e diminui o gasto com inscrições de vestibular e em deslocamento para realizar o exame.

"Democratiza o acesso ao ensino superior", diz Miguel Roberto Jorge, pró-reitor de graduação da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que utilizará a avaliação como forma de ingresso único em 19 dos 26 cursos. A mineira Diana Salma, 31 anos, entrou na faculdade de medicina da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) em 2008 apenas com os resultados do Enem. "Por esse critério, fiquei em 14º lugar", comemora. Malvina Tuttman, reitora da UNIRIO, vê mais uma vantagem. "O exame incentivará a mobilidade estudantil pelo território nacional."

Entrevista do Ministro da Educação sobre o novo Enem

O ENEM VAI REORIENTAR O ENSINO"

O ministro da Educação, Fernando Haddad, falou à ISTOÉ sobre os reflexos do exame nas escolas.

ISTOÉ - Por que só agora, 11 anos após sua criação, o Enem chegou a esse novo formato?
Fernando Haddad - O Enem, no seu formato original, falhou no seu principal propósito, que era acabar com o vestibular tradicional. As principais universidades não viam o Enem como um instrumento adequado para seus processos seletivos nem os secretários estaduais viam no exame o formato adequado para orientar o currículo do ensino médio. Daí a mudança foi necessária e, em minha opinião, recebeu apoio em função de ter sido um formato negociado, tanto com os secretários estaduais quanto com os reitores.

ISTOÉ - Algumas universidades, como o ITA, dizem que não vão aderir porque sua seleção dá certo. Em quanto tempo acredita que todas participarão?
Haddad - Estamos prevendo para as universidades federais um processo de transição de três anos. Nesse primeiro ano, 50 instituições vão utilizar o Enem como fase única e 26 universidades públicas vão usá-lo como componente da nota. Compreendo que algumas instituições, por adotarem um processo seletivo adequado aos seus propósitos, não tenham a intenção, nesse momento, de fazer do Enem a base de seu processo seletivo

"Hoje, em virtude do conteúdo excessivo, os professores têm pouca condição de aprofundar as disciplinas"

ISTOÉ - O sr. acredita que o conceito do novo Enem vai mudar o jeito de as escolas ensinarem?
Haddad - Não tenho dúvida de que vai reorientar o ensino médio, fazendo com que diminua o conteúdo e permita o aprofundamento dos temas pertinentes a essa etapa de ensino. Hoje, em virtude do conteúdo excessivo, os professores têm pouca condição de aprofundar as disciplinas porque o currículo do ensino médio acabou se tornando uma espécie de sobreposição de programas de vestibular. É praticamente impossível não lançar mão de decorebas, fórmulas, etc., para dar conta da abrangência dos conteúdos que são cobrados nos milhares de vestibulares que ocorrem no País.

ISTOÉ - Quanto tempo a educação brasileira levará para mudar para melhor, graças ao novo conceito?
Haddad - Minha expectativa é que o início da mudança ocorra a partir da adesão das universidades. Dependemos dessa adesão, para que o ensino médio consiga respirar aliviado, para cobrir um conteúdo mais inteligente, mais instigante. A velocidade da transição vai determinar a da mudança

"Desde que as notas médias do Enem por escola foram divulgadas começou um movimento de adaptação"

ISTOÉ - Muitas escolas de elite que não se saíram bem na avaliação de 2007 subiram dezenas de posições em 2009. Como isso foi possível?
Haddad - Na interlocução com diretores de escolas particulares e públicas, percebemos que, desde que as notas médias do Enem por escola foram divulgadas pela primeira vez, em 2006, começou um movimento de adaptação das instituições de ensino.

ISTOÉ - Os alunos de escolas públicas não continuam em desvantagem, já que o problema é a qualidade do ensino nessas instituições?
Haddad - Em primeiro lugar, as escolas públicas têm um investimento por aluno equivalente a 10% do que se investe em média no estudante de escola privada. E recebem o aluno em condições socioeconômicas muito mais desfavoráveis. A família é um determinante da educação dos filhos. A distância existe, mas entendo que é superável. Fixamos metas até 2022 para que a escola pública se equipare em qualidade à escola particular - que atende apenas 12% da população.

Hugo Marques
Fonte:

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Marcha Mundial pela Paz e a Não-Violência. Participe!

A Marcha Mundial pela Paz e a Não-Violência é uma campanha que une pessoas, personalidades e centenas de organizações de vários países.
A proposta da manifestação é criar consciência coletiva pela paz e incentivar a não-violência como um caminho a ser trilhado em todas as instâncias da sociedade.Seus pontos essenciais são o desarmamento nuclear a nível mundial, a retirada imediata das tropas invasoras dos territórios ocupados, a redução progressiva e proporcional do armamento convencional, a assinatura de tratados de não agressão entre países e a renúncia dos governos a utilizar as guerras como meio para resolver conflitos.Já estão sendo realizados fóruns, encontros, festivais, conferências e eventos simultâneos, somando pessoas em expressões múltiplas de um sentimento comum, que permite rejeitar não somente a violência física, mas também toda forma de violência (econômica, racial, psicológica, religiosa, sexual).

Juntamente às atividades, a partir do dia 2 de outubro de 2009, aniversário de Gandhi, uma equipe internacional, sairá da Nova Zelândia e passará por mais de 90 países e 100 cidades nos cinco continentes. O ponto de chegada é aos pés do Aconcágua, em Punta de Vacas, em 2 de janeiro de 2010.Numa proposta como essa, a educação tem o papel especial para apontar os caminhos para um mundo com mais respeito ao ser humano, onde os conflitos sejam resolvidos sem agressões ou armas. A Marcha é uma inspiração para consolidar ações contínuas de fomento à não-violência que seguirão fortalecendo e ampliando sua influência.Para apoiar ou saber mais, visite o site http://www.marchamundial.org.br/.



AssiFonte: http://www.rededosaber.sp.gov.br/

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Inscrições ao Enceja nível fundamental seguem até o dia 30 de setembro

Clipping Educacional - Da Redação*Em São Paulo
* Com informações do Inep
Estão abertas a partir desta terça (8) as inscrições para o Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos) 2009 no nível fundamental. Segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), as inscrições seguem até dia 30 de setembro. A prova será no dia 29 de novembro.O Inep espera mais de 1 milhão de inscrições às provas. A partir desse ano, a certificação para o nível médio será feita pelo Enem 2009 (Exame Nacional de Ensino Médio) em outubro.A participação no Encceja é voluntária. O exame tem o objetivo de aferir competências e habilidades de jovens e adultos, no nível de conclusão do ensino fundamental, que não tiveram acesso ao ensino regular na idade própria. O participante faz a prova e, atingindo a pontuação mínima exigida, é aprovado e certificado na proficiência do ensino fundamental. A idade mínima exigida para o Encceja nesse nível de ensino é de 15 anos, completos até o dia da prova.
Inscrições do Encceja
O período de inscrições ao exame será de 8 a 30 de setembro, exclusivamente pela Internet. Os interessados poderão se inscrever pelo site http://www.encceja.inep.gov.br/inscricao, a partir das 8h do dia 8 até às 23h59 do dia 30 de setembro (horário de Brasília). A participação no exame é gratuita e voluntária. Os participantes devem ficar atentos aos campos de preenchimento. Após o cadastro, deverá ser realizada a impressão desse comprovante com o número de acompanhamento da inscrição e da senha de acesso. O local e a área que o candidato deseja realizar a prova deve ser indicado no momento do cadastro.O cartão de confirmação de inscrições, contendo o dia, local e horário da prova, juntamente com o número de inscrição, a senha de acesso aos resultados individuais, o cartão-resposta e o questionário socioeconômico serão enviados ao endereço informado no ato do preenchimento do formulário. Caso o candidato não receba a confirmação de inscrição até o dia 9 de novembro, deverá entrar em contato com o Fala, Brasil pelo telefone 0800 61 61 61 ou acessar a página do Encceja, no http://www.encceja.inep.gov.br/consulta. Não será permitida a mudança de local de prova nem de município de opção do participante, informados no ato da inscrição.
A prova
As provas contemplam as áreas básicas do conhecimento, sendo elas: Prova I - Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna (Inglês), Artes, Educação Física e Redação; Prova II - Matemática; Prova III - História e Geografia, e Prova IV - Ciências Naturais. Serão 30 itens de múltipla escolha para cada uma das áreas, além de uma proposta de temas para a redação.O interessado deverá chegar ao local de prova com, no mínimo, uma hora de antecedência, sendo que os portões serão abertos 15 minutos antes. Não será permitida a entrada após o início das provas. No período matutino, a prova será aplicada das 8h30 às 12h30 (ciências naturais, história e geografia) e no período vespertino das 14h30 às 19h30 (língua portuguesa, inglês, artes, educação física, redação e matemática).O caderno de questões, em hipótese nenhuma, poderá ser levado para casa após o exame. No cartão de respostas não serão computadas os itens deixados em branco ou que contenham mais de uma resposta, emenda ou rasura, ainda que legível.
Boletim individual de desempenho
A previsão de entrega dos resultados é a partir da primeira quinzena de março de 2010, no endereço indicado no ato da inscrição. Os participantes poderão também acessar os resultados pelo site http://www.encceja.inep.gov.br/boletim, munidos do número do CPF e da senha de acesso gerada no momento da inscrição.O desempenho do candidato será quantificado em cada prova numa escala de proficiência, método conhecido como TRI - Teoria de Resposta ao Item (mesma metodologia usada desde o início deste exame e que será adotada esse ano para o Exame Nacional de Ensino Médio - Enem), estabelecido pelo Ministério da Educação e que será divulgado no site do Encceja, juntamente com o conteúdo programático.
Fonte: http://educacao.uol.com.br/

domingo, 30 de agosto de 2009

Comunicado DRHU-24, de 28-8-2009- Concurso de remoção de titulares de cargo de docentes/2009

Clipping Educacional - Da Educação
Concurso de Remoção de titulares de cargo de Docentes/2009.
O Diretor do Departamento de Recursos Humanos, com fundamento no Decreto nº 24.975/86, alterado pelo Decreto nº 40.795/96, Decreto nº 53.037/08 alterado pelo Decreto nº 53.161/08 e na Resolução SE nº 87/98, alterada pela Resolução SE nº 132/02, comunica às autoridades escolares e aos interessados que estarão abertas, no período de 4 a 11/09/2009, as inscrições para o Concurso de Remoção de Professor Educação Básica I e Professor Educação Básica II.
Nos termos da Resolução supracitada, ficam fixadas as seguintes datas-base:
I - a partir de 01/09/2006: para avaliação dos cursos de pequena duração.
II - 30-6- 2009:
a) - para a avaliação do tempo de serviço;
b) - para o critério de desempate;
III - 12/09/2009 - para identificação das vagas. Em relação aos critérios para o preenchimento do requerimento da inscrição, deve ser observada a Instrução DRHU nº 4/98, retificada em 05/08/98 e 30/05/06.
Quanto aos critérios para levantamento de vagas iniciais, deverá ser observada a Instrução DRHU nº 5/98, retificada pela Instrução DRHU nº 1, publicada em 30/05/06.
A inscrição deverá ser entregue pelo candidato ou seu procurador, na unidade onde tem o cargo classificado.
As legislações pertinentes, mencionadas neste Comunicado, deverão ser adequadas às nomenclaturas atuais.
Fonte: http://www.imprensaoficial.com.br

Ensino Médio será obrigatório; Estados pedem mais recursos

Clipping Educacional - CGC Educação (25.08.2009)
A presidente do Consed diz que apóia a iniciativa, mas ressalta que "agora será preciso correr atrás do financiamento para garantir o cumprimento da lei"
A universalização do ensino médio público gratuito foi aprovada em caráter conclusivo, na terça-feira, dia 25, pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara da Câmara dos Deputados (CCJ). Como o projeto do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) já foi aprovado pelo Senado, ele será encaminhado à sanção presidencial. Ele prevê que a medida passe a valer em 2010.
A presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), Maria Auxiliadora Rezenda, disse à Agência Brasil que apóia a iniciativa, mas ressaltou que "agora será preciso correr atrás do financiamento para garantir o cumprimento da lei."
A Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) já prevê que o Poder Público seja obrigado a universalizar o acesso ao ensino fundamental e, progressivamente, chegar à cobertura do ensino médio.
De acordo com a Agência Câmara, os custos para a expansão do ensino médio gratuito serão de responsabilidade, a principio, dos estados e do Distrito Federal.
Apesar de o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) assegurar mais recursos para a educação básica, incluindo o ensino médio, a presidente do Consed destaca que será necessário buscar outras fontes de financiamento. "Só o fato de o Fundeb incluir o ensino médio não garante o esforço que os Estado terão que fazer. A estrutura do ensino médio é carente em muitos estados. Faltam prédios e instalações adequadas. Tudo isso terá que ser construído", disse ela à repórter Amanda Cieglinski.
Maria Auxiliadora lembrou que já está tramitando no Congresso uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê a ampliação da obrigatoriedade da oferta para o ensino médio e para a pré-escola, mas está parada aguardando aprovação em plenário. A PEC inclui o aumento dos recursos para estas duas modalidades com o fim gradual da incidência da Desvinculação das Receitas da União (DRU).
Segundo ela, os secretários concordam com a ampliação do ensino médio, mas alguns Estados terão dificuldade para implantar a medida, como no Norte e no Nordeste. "Agora, teremos que buscar a viabilização desse projeto porque a situação não é a mesma para todos os Estados. Temos problemas de infraestrutura, mas é muito importante que o país sinalize de forma positiva para essa questão", disse.
A Agência Câmara informa que dados do Ministério da Educação indicam que dos quase 27 milhões de alunos matriculados no fundamental, apenas cerca de 8 milhões devem chegar ao ensino médio.
fonte:http://e-educador.com